Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Oficina Literária’ Category

Como já anunciado em sala, estou postando a primeira atividade denominada como ‘RELÂMPAGO’, devido à curta permanência da mesma para que o(a) estudante responda, sendo contemplado quem atento aos informes do BLOG, que usamos como mais um instrumento de construção do saber, busca informes e assim ganhe mais em conhecimento e experiência.

Tópico para estudo : Vanguardas Europeias

Aponte uma informação curiosa, importante, estranha ou que não se pode esquecer sobre esse assunto que estamos trabalhando em sala.

Cuidado ao escrever, pois sua informação deve ser inédita em relação ás demais já postadas pelos seus colegas de série.

O prazo para postar um comentário é de 36 horas a partir da hora da publicação.

Assim você pode trabalhar suas habilidades argumentativas e pontuar suas atividades da 2ª Unidade.

Para você conferir um dos motivos por que estamos trabalhando este conteúdo:

Como já caiu no vestibular?

1. (UFPE – PE) Os movimentos culturais do final do século XIX e das primeiras décadas do século XX dialogavam com as mudanças que ocorriam na sociedade ocidental, com a afirmação do modo de produção capitalista e com as novas formas de pensar e de sentir o mundo. Com o modernismo e as vanguardas artísticas, houve mudanças importantes, pois:

( ) Matisse, Van Gogh e Picasso expressaram com seus quadros mudanças nas concepções estéticas da pintura.
( ) o dadaísmo procurou radicalizar nas suas propostas, criticando os valores estabelecidos, com destaque para a obra de artistas como Marcel Duchamp.
( ) o surrealismo trouxe a exploração do inconsciente, presente na pintura do espanhol Salvador Dali e na obra literária do francês André Breton.
( ) com obras que causaram impacto, houve um rompimento frente aos modelos clássicos que adotavam regras e limites para o artista.
( ) concepções literárias e musicais renovadoras, estiveram presentes nas obras de Marcel Proust, James Joyce, Debussy, Paul Éluard, Stravinsky e tantos outros.

GABARITO
V – V – V – V – V

Comentário: Todas as alternativas estão de acordo com o ideário dos movimentos de vanguarda do início do século XX

Read Full Post »

Atenção crianças !!! A partir da próxima aula estaremos lendo em sala ‘O Triste Fim de Policarpo Quaresma’ !!!

Para promover a participação de todos dividi o livro com base nos capítulos, uma dupla para cada trecho, são muito preciosas a suas exposições, confiram a seguir como ficou a distribuição :

Parte I – 

3º  ano  “A”

3º  ano  “B”

3º  ano  “C”

Cap. 1:A lição de violão : Águida-Wellington Adriano – Wilma Alan-  Mª Estela
Cap.2: Reformas Radicais: Alisson-Surama Ayala – Wilca Aline –  Mª Janiely
Cap.3: A notícia do Genelício : Amanda-Sidclea Bruna – Rodrigo André- Mariana Barbosa
Cap.4:Desastres  Consequências … Andreza-Sérgio D.Batista- Robson Bruna – Mariana Godoi
Cap.5: O Bibelot : Arthur- Sarah D. Mendes –Rebeca Santos Cássia- Marina
Parte II –  
 
Cap. 1:No sossego : Christiphe-N. athanael Débora – Rebeca Maria Emanuela –Rafael
Cap.2: Espinhos e Flores ; Danielle- Natanias Elizabeth- Ramires Franciele – Raphaella
Cap.3: Golias : Débora-Priscila Igor – R. Soares Gustavo – Renata
Cap.4: “Peço Energia, Sigo Já”: Eduardo-R.Braga J. Diego- Pricylla Igor – Samylla
Cap.5: O Trovador : Emelly-R. Vital J. José- Osmar Iverson- Tatiane
Parte III –      
Cap. 1:Patriotas : Fernando-Josemar Jessilaine- Mª Graciele Ysabella – Thiago
Cap.2: Você, Quaresma é um … : Gabriel-Julyana J. Lucas – Mª Clara Kamila – Vanessa
Cap.3: …E tornaram … Jefferson- Karine J. Souza- L. Augusto Karina – Wanderlayne
Cap.4: O Boqueirão : Jéssica-Mª Carolina J. Kelly – Luci Luccas- Wilca
Cap.5: A Afilhada : J.Paulo – Maristela Lorena- L. Allyson Mª Diná – Débora

Read Full Post »

Quero trazer a todos que gostam de escrever, uma oportunidade muito especial, repetir a exitosa participação da nossa equipe de educadores e educandos no Prêmio Naíde Teodósio de Estudo de Gênero – ano V, com inscrições abertas para diversas modalidades, como prescreve o edital que pode ser lido na íntegra clicando aqui  , ou de forma concisa, alguns tópicos que selecionamos para orientação inicial, quais sejam :

Art. 1º. A Secretaria da Mulher (SecMulher), a Secretaria de Educação (SE), a Secretaria de Ciência e Tecnologia (SECTEC), a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), a Companhia Editora de Pernambuco (CEPE), a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE), a Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco – IFPE, tornam público o lançamento do presente Edital e convidam estudantes do ensino médio, ensino técnico subsequente, graduação, pós-graduação e professoras e professores do ensino médio e técnico subsequente, a apresentar redações, artigos científicos, relatos ou projetos de experiência pedagógica e roteiro para documentário de curta metragem digital, de acordo com as prioridades, condições e linhas temáticas definidas neste Edital.

CAPÍTULO IV – DOS TEMAS
Art. 4º. O Prêmio abordará exclusivamente os seguintes temas:
a) Violência doméstica e sexista;
b) Inserção das mulheres nos espaços de poder;
c) Mulher e meio ambiente;
d) Patriarcado: educação e cultura;
e) Agricultoras familiares e reforma agrária;
f) Gênero e saúde;
g) Sexualidade e gravidez na adolescência;
h) A participação da mulher negra na formação da sociedade pernambucana;
i) A participação da mulher indígena na formação da sociedade pernambucana;
j) Gênero e práticas esportivas em Pernambuco;
k) Gênero e ciência em Pernambuco;
l) O protagonismo da mulher idosa na sociedade pernambucana;
m) Gênero e Mídia;
n) Relações de Gênero na atividade da pesca artesanal;
o) Gênero e diversidade sexual.

Para enviar trabalhos, o(a) estudante precisa ser orientado pelo seu professor, que fará a inscrição e dará as informações necessárias à adequação do texto ao edital e então  ser postado, leiam e comecem a produzir , você pode o (a) próximo(a) vencedor(a) !!!

Read Full Post »

Olá Pessoal !!!

Para melhor andamento de nossos estudos, estou organizando nesta postagem os materiais para leitura necessária e urgente de que todo  e qualquer estudante que deseja fazer boas avaliações para ingressar na Universidade.

São resumos, resenhas e textos na íntegra para você ler , analisar e lembrar na ocasião certa.

 

 

Literatura para a vida : Iracema, de José de Alencar !!!

Literatura para a vida :Senhora de José de Alencar

Literatura para a vida: A Moreninha

Clássicos Brasileiros!!! A Moreninha

Clássicos Brasileiros!!! Triste Fim de Policarpo Quaresma

Read Full Post »

Olá pessoal!!! Segue mais um romance para leitura necessária para a sua experiência estudantil, Iracema que é um dos textos mais lidos do cearense José de Alencar, daí por que usarei uma imagem da estátua da personagem principal, que se encontra na cidade de Fortaleza para que ao clicar na figura você possa acessar o texto na íntegra, em PDF, espero que a leitura seja agradável.

  (Essas estátuas, mostrando Iracema, Martim sentado com o filho no colo, e um cachorro, todos em uma jangada, foram esculpidas por Corbiniano Lins)

 

 

 

 

Após o formato completo, como de costume , compartilharei um dos diversos resumos que circulam na rede.

“Iracema” – Resumo e análise do livro de José Alencar

Escrito em prosa poética, esse romance é um dos principais representantes da vertente indianista do movimento romântico e traça uma espécie de mito de fundação da identidade brasileira

A narrativa de Iracema estrutura-se em torno da história do amor de Martim por Iracema.

Diferentemente do que ocorre em outros romances de José de Alencar, como O Guarani, o enredo de Iracema é aberto a interpretações. A relação entre Martim e Iracema significa a união entre o branco colonizador e o índio, entre a cultura européia, civilizada, e os valores indígenas, apresentados como naturalmente bons. É uma espécie de mito de fundação da identidade brasileira.

Ainda menino, Alencar fez uma viagem pelo sertão. A experiência dessa viagem de garoto seria constantemente evocada pelo futuro escritor em seus romances, com imagens e impressões da exuberante natureza brasileira. Alguns espaços merecem destaque por ser palco de importantes acontecimentos desse romance: o campo dos tabajaras, onde fica a taba do pajé Araquém, pai deIracema; a taba de Jacaúna, na terra dos potiguaras (ou pitiguaras); a praia em que vivem Martim e Iracema e onde nasce Moacir.

IMAGENS E METÁFORAS
Uma das grandes habilidades de Alencar está em representar o pensamento selvagem por meio de uma linguagem cheia de imagens e de metáforas. Sabe-se que as sociedades que não avançaram no terreno da lógica argumentativa (que pressupõe noções científicas básicas) têm em contrapartida grande riqueza no plano mitológico. Elas se valem dos mitos e das histórias para explicar o mundo.
O pensamento do selvagem é imagético e, por isso, está muito próximo da poesia. Vê-se nesse ponto como o autor soube unir forma e conteúdo. De outro modo seria difícil caracterizar a linguagem do índio sem prejuízo da verossimilhança.

BASE HISTÓRICA
A narrativa inicia-se em 1608, quando Martim Soares Moreno é indicado para regularizar a colonização da região que mais tarde seria conhecida como Ceará.

José de Alencar era leitor assíduo de Walter Scott, criador do romance histórico, e foi influenciado por esse escritor. Como em vários romances de Alencar, Iracema mistura ficção e documento, com enredo que toma como base um argumento histórico. Essa junção se deve também ao projeto de criação de uma literaturanacional, no qual Alencar e os demais escritores românticos do seu tempo estavam fortemente empenhados.

Ainda quanto ao aspecto histórico, que o autor levou em conta ao compor a obra, ressalte-se que os índios potiguaras (habitantes do litoral) eram aliados dos portugueses, enquanto os tabajaras (habitantes das serras cearenses) eram aliados dos franceses.

ENREDO
A primeira cena antecipa o fim do livro, o que reforça a unidade da obra: Martim e Moacir deixam a costa do Ceará em uma embarcação, quando o vento lhes traz aos ouvidos o nome deIracema.

No segundo capítulo, a narrativa retrocede no tempo até o nascimento de Iracema. A personagem é então apresentada ao leitor: “Virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que seu talhe de palmeira”. A índia é descrita como uma linda e excelente guerreira tabajara, “mais rápida que a ema selvagem”. Por isso mesmo, sua reação ao avistar o explorador Martim é desferir-lhe uma flechada certeira. Essa é também uma referência à flecha de cupido, já que, desde o primeiro olhar trocado pelos personagens, se percebe o amor que floresce entre os dois.

Martim desiste de atacar a índia assim que põe os olhos nela.Iracema, por sua vez, parece atirar a flecha por puro reflexo, pois logo depois se arrepende do gesto e salva o estrangeiro, levando-o até sua aldeia.

Martim é recolhido à aldeia pelo pajé Araquém, pai de Iracema, e apresenta-se a ele como um aliado de seus inimigos potiguaras que se perdera durante uma caçada. O pajé o trata com grande hospitalidade e garante hospedagem, mulheres e a proteção de mil guerreiros.

Iracema oferece mulheres a Martim, que prontamente as recusa e revela sua paixão por ela. O amor de Martim é cristão, idealizado. O de Iracema também, mas por motivo diverso: ela guarda o segredo da jurema, por isso precisa manter se virgem. Esse é o estratagema que Alencar utiliza para transpor o amor romântico europeu às terras americanas. Uma índia, criada fora dos dogmas cristãos, não teria motivos para preservar sua virgindade.

AMOR PROIBIDO
As proibições reforçam ainda mais o amor entre a índia e o português. São as primeiras de muitas provações que tal união terá de enfrentar. Em linhas gerais, o romance estrutura-se no embate entre tudo o que une e o que separa os dois amantes.

Irapuã é o chefe guerreiro tabajara e funcionará, no esquema narrativo da obra, como um antagonista de Martim. Na primeira desavença entre os dois, o velho pajé Andira, irmão de Araquém, intervém em favor do estrangeiro. Iracema pergunta ao amado o motivo de sua tristeza e, percebendo que ele tinha saudade de seu povo, pergunta se uma noiva branca espera pelo seu guerreiro. “Ela não é mais doce do que Iracema”, responde Martim. Irapuã nutre amor não correspondido pela virgem e logo reconhece no português um inimigo mortal.

Iracema conduz Martim ao bosque sagrado, onde lhe ministra uma poção alucinógena. O guerreiro branco delira, e a índia adormece entre os seus braços.

Enquanto isso, Itapuã continua alimentando planos para se livrar do estrangeiro. O amor entre os protagonistas parece impossível de se concretizar, por isso Martim é coagido por Iracema a voltar para sua terra. Caubi, irmão de Iracema, acompanha-os. No caminho de volta, porém, são atacados por guerreiros liderados por Irapuã. Martim, Iracema e Caubi refugiam-se na taba do pajé Araquém, que usa de um truque para salvar o português da ira do chefe guerreiro.

Sucede-se o encontro amoroso entre Martim e Iracema, narrado delicadamente pelo autor. Martim está inconsciente por ter ingerido a bebida da jurema e a índia deita-se ao seu lado. A frase “Tupã já não tinha sua virgem na terra dos tabajaras” é a sutil indicação de que a união amorosa se realizara.
Os acontecimentos que se seguem têm como pano de fundo a guerra entre potiguaras e tabajaras. Martim escapa de seus inimigos tabajaras e une-se aos vencedores potiguaras. Iracema, porém, sente-se profundamente triste pela morte dos entes queridos e não suporta viver na terra de seus inimigos.

O casal muda-se então para uma cabana afastada, localizada numa praia idílica. Com eles vai Poti, o grande amigo de Martim. Lá vivem um tempo de felicidade, culminando com a gravidez de Iracema e o batismo indígena de Martim, que recebe o nome de Coatiabo, ou “gente pintada”. Com o passar do tempo, contudo, o português se entristece por não poder dar vazão a seu espírito guerreiro e por estar com muita saudade de sua gente. A bela índia tabajara também se mostra cada vez mais triste.
Numa ocasião em que Martim e Poti saem para uma batalha, nasce o filho, Moacir. Quando os dois amigos voltam da guerra, encontram Iracema à beira da morte. O corpo da índia é enterrado aos pés de um coqueiro, em cujas folhas se pode ouvir um lamento. Daí vem o nome Ceará, canto de sua jandaia de estimação, uma ave que sempre a acompanhava.

CONCLUSÃO
Iracema, por amor a Martim, abandona família, povo, religião e deus. É uma clara referência à submissão do indígena ao colonizador português. Alguns dizem que o nome Iracema é também um anagrama de América.

Fonte:http://guiadoestudante.abril.com.br

 

Read Full Post »

Oi alunos, seguem os slides produzidos pelos alunos das turmas do 2º A, C e D e que foram apresentados durante a oficina de Literatura na Semana Rosa e Lilás. Obrigada a todos os oficineiros pelo belo trabalho.

Read Full Post »

Os versos que te fiz  (FLORBELA   ESPANCA)

Deixa dizer-te os lindos versos raros 
Que a minha boca tem pra te dizer !
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder …
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer !

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda …
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz !

Amo-te tanto ! E nunca te beijei …
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!

 

* Deixe  suas impressões sobre  os versos acima, como você traduziria o amor que abriga-se no seu peito???

Read Full Post »

Older Posts »